news

Mão em Mão: Está a ser criado um Herbário Comunitário dos Açores

Bruno Márquez, arquiteto e naturalista chileno, apresentou ao programa Mão em Mão um projeto para a criação de um Herbário Comunitário dos Açores. O objetivo é aprofundar o conhecimento sobre a flora nativa e endémica do arquipélago e, desse modo, divulgar o património natural da Região, a partir do Nordeste, em São Miguel.

A proposta conta com o envolvimento da SPEA - Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves e da Câmara Municipal do Nordeste. Foram realizadas quatro saídas de campo para recolha de plantas e promovidos dois workshops com a comunidade do Nordeste. 

O projeto considerou, no total, quatro saídas de campo para recolha de espécimes de plantas e partes de plantas para a criação do Herbário Comunitário. Foram realizadas duas saídas de campo à Serra da Tronqueira (a 12 de setembro e a 2 de outubro), tendo sido lançado um convite à comunidade para participar. Durante estas atividades, foi destacada a importância da floresta laurissilva para o património natural dos Açores, bem como a relevância da criação de um herbário comunitário enquanto "divulgador de conhecimento".

Foram, ainda, realizadas duas saídas, no Centro Ambiental do Priolo (a 17 de setembro e a 9 de outubro), com um grupo de idosos portadores do cartão 60+ da Câmara Municipal do Nordeste, com o objetivo de recolher plantas no Jardim de Endémicas, e dois workshops sobre o processo de secagem das plantas recolhidas e sobre os passos necessários para a construção de um herbário.

Os participantes foram convidados a partilhar histórias pessoais sobre a sua relação com as plantas locais e foram, também, desafiados a escrever sobre elas e a desenhá-las. Esta atividade pretendeu incentivar as pessoas a conhecerem melhor a flora dos Açores e a contribuírem para a criação de um herbário que permita o estudo botânico naturalista. 

Ficámos a saber, entre outras curiosidades, que, antigamente, a urze (Erica azorica) era utilizada na construção de vassouras, que alguns musgos eram utilizados para encher as almofadas, que se comiam os frutos da Uva-da-serra (Vaccinium cylindraceum), e que a partir do Bracel-da-rocha (Festuca petraea) faziam-se pincéis para caiar as casas.

O projeto prossegue, agora, com a curadoria do material recolhido e a preparação de uma exposição sobre este Herbário Comunitário e sobre o seu processo participativo.

Reportagem fotográfica sobre as saídas para a recolha de plantas e os workshops com a comunidade:

Curadoria das plantas: Baseia-se na secagem e preparação da planta numa prensa, para que as diferenças morfológicas possam ser visualizadas e exista um formato unificado que seja prático para a sua conservação. Depois de os espécimes estarem secos, são acrescentadas as seguintes informações: nome científico da planta (espécie e família a que o espécime pertence), o colector, o local da recolha e a data.