news

Equipa Azores 2027 entrega dossiê de candidatura

A equipa coordenadora da candidatura de Ponta Delgada | Açores a Capital Europeia da Cultura 2027 submeteu, a 19 de novembro, o dossiê de candidatura para ser analisado pelo júri internacional. O documento ficará disponível neste site, após a audiência com o júri na cidade de Lisboa, durante os primeiros meses de 2022.

Segundo o presidente da Câmara de Ponta Delgada, Pedro Nascimento Cabral, a autarquia está "totalmente empenhada" neste projeto que "é estruturante para a Cultura não só de Ponta Delgada, mas de toda a Região".

Natureza Humana é o conceito deste dossiê, considerando Natureza enquanto lugar e a palavra Humana como forma de designar Cultura.

Para a construção deste documento, a equipa coordenadora do Azores 2027 realizou um amplo processo de auscultação que passou por Ponta Delgada, pelos seis municípios da ilha de São Miguel e pelas nove ilhas dos Açores, envolvendo 400 artistas, agentes culturais, líderes comunitários, agentes de mudança, instituições, festivais e a sociedade civil.

O programa artístico e cultural plasmado no dossiê parte do pensamento arquipelágico e divide-se em quatro eixos estratégicos: Arquipélago de Multiplicidade, Arquipélago de Participação, Arquipélago de Natureza e o Arquipélago da Europa e do Mundo.

O Arquipélago da Multiplicidade — que lida com singularidades, mobilidade e cooperação — visa a colaboração entre entidades e agentes culturais de Ponta Delgada, da ilha de São Miguel, do arquipélago e da Europa. Comunidade, laços de solidariedade, o poder do intercâmbio e partilha de bens serão uma realidade adquirida.

O Arquipélago da Participação — que lida com a acessibilidade, a capacitação e a democracia cultural — leva-nos a um futuro em que o setor cultural e criativo ganha voz e toma consciência dos desafios locais, contribuindo para um maior desenvolvimento e respeito pela diversidade, igualdade de género, inclusão e cocriação.

O Arquipélago da Natureza — que lida com o nosso ecossistema, o turismo lento e a investigação — guia-nos a um futuro de esperança e sustentabilidade ambiental, onde a preservação da biodiversidade ganha ímpeto através de práticas artísticas e culturais que acompanham a inovação do setor turístico.

O Arquipélago da Europa e do Mundo — que lida com as migrações, a diáspora, a História e o Património — transporta-nos para um futuro com ferramentas mais criativas capazes de decifrar a nossa história, o património imaterial, edificado e natural, novas experiências de visita e estadia e um sentido de cooperação com as nossas comunidades migrantes, bem como com o nosso continente.

Cada arquipélago propõe, assim, uma série de projetos artísticos e culturais de diferentes expressões, com o desafio de envolver, atrair e incorporar formas criativas de participação. Todos os arquipélagos são interligados e complementares, e contam uma narrativa da Europa, do Oceano Atlântico, dos Açores e de Ponta Delgada. Trata-se de uma narrativa de sustentabilidade social, cultural e ecológica, que aborda temas e valores europeus em torno de questões centrais da atualidade e do futuro dos Açores.

O dossiê, de 60 páginas, responde a 38 questões e a seis critérios de avaliação, nomeadamente Contribuição para a Estratégia Cultural a Longo Prazo, Programa Artístico e Cultural, Dimensão Europeia, Alcance e Desenvolvimento de Públicos, Gestão, e Capacidade de Execução.