news

Mão em Mão: Lagoa acolhe "Vira, Mozart!"

É já na próxima terça feira, 5 de outubro, às 17h00, que acontece, no Convento de Santo António, na Lagoa (São Miguel), o primeiro concerto resultante do projeto "Vira, Mozart!" - uma das nove propostas vencedoras do programa-piloto "Mão em Mão" de Azores 2027 em parceria com a CRESAÇOR - Cooperativa Regional de Economia Solidária. 

Trata-se de um encontro entre música clássica e música tradicional açoriana, que junta o Mankes Piano Quartet, de Amesterdão, e o Grupo Folclórico "O Grujola", da Lagoa. Este é um projeto do músico Henrique Constância, natural de Ponta Delgada.

Os dois grupos vão trabalhar em conjunto, num workshop a decorrer ao longo do dia, numa troca de sonoridades musicais, procurando obter uma articulação de várias musicalidades que serão, posteriormente, apresentadas ao público às 17h00.

Face à situação pandémica, os lugares serão limitados, sendo que os interessados deverão reservar bilhete através do número 296912510 ou enviar um email para museu@lagoa-acores.pt. 

O grupo musical Mankes Piano Quartet, do qual Henrique é fundador, traz à ilha de São Miguel uma performance da música clássica, nomeadamente de obras de Mozart, e promove oficinas musicais na Lagoa, com o Grupo Folclórico "O Grujola", e na Ribeira Grande, com o Grupo de Castanholas de Rabo de Peixe, que resultarão em dois concertos.

None

O projecto visa a troca de experiências entre pessoas que partilham o gosto pela música, integrando, em harmonia, a música clássica e a música de raiz popular, tradicional, em particular da ilha de São Miguel. O objetivo é que os grupos participantes convivam e tenham a oportunidade de estarem em contacto próximo com géneros musicais que não fazem parte do seu dia a dia.

Como base de trabalho, todos os participantes interpretarão uma peça tradicional, ensinada pelo grupos local, seguida da interpretação de uma obra de Mozart, em que os elementos do grupo local serão convidados a improvisar. Os elementos dos grupos deverão fazer uma apresentação dos seus instrumentos musicais, realçando aspetos técnicos e dando relevo às técnicas específicas dos instrumentos tradicionais (ex. Viola da Terra).

Este projeto, segundo Henrique Constância, tem como objetivo proporcionar novas experiências musicais quer aos executantes, quer à comunidade local, veiculando a ideia de que a música é "um elemento de união acessível a todos". "Procuraremos desconstruir o conceito de musica elitista, estranha e complicada", frisa.
______

Henrique Constância nasceu em Ponta Delgada, em 1997, tendo iniciado os estudos musicais aos 5 anos de idade no Conservatório Regional de Ponta Delgada. Participou em diversos masterclass de violoncelo, bem como em estágios de orquestra. Fez parte da orquestra internacional Junge Deutsch-Französische Philharmonie e foi selecionado para integrar a Jovem Orquestra Portuguesa. Em 2017, participou no estágio Gulbenkian para orquestra e participou em concertos da Orquestra Metropolitana de Lisboa e Orquestra Gulbenkian e Os Músicos do Tejo. É membro fundador do grupo de jovens músicos açorianos “Bruma Ensemble”. Participou em espetáculos de Milagres Paz e no trabalho discográfico de Rafael Carvalho. Completou a licenciatura na Academia Nacional Superior de Orquestra e, atualmente, estuda violoncelo moderno e barroco no Conservatório de Amsterdão. É membro fundador do grupo internacional de música de câmara Mankes Piano Quartet.