news

Candidatura de Ponta Delgada | Açores a CEC apresentada a 30 de maio

Ponta Delgada candidata-se ao título de Capital Europeia da Cultura, mas não vai sozinha: consigo leva um arquipélago inteiro!


“A Nossa Natureza é Humana” é o mote da candidatura de Ponta Delgada | Açores a Capital Europeia da Cultura 2027 – Azores 2027, cuja apresentação oficial está marcada para o próximo domingo, 30 de maio, através das plataformas digitais. 

Quando se fala dos Açores, a Natureza, a Paisagem e a Biodiversidade são os grandes ativos apontados, mas os Açores são também as suas gentes, as suas histórias e experiências, o seu património e a sua cultura. Esta é, pois, a matéria de trabalho do projeto Azores 2027, que vai agora ser apresentado publicamente. 

Face às incertezas que decorrem da situação pandémica atual, a equipa coordenadora do Azores 2027 optou por, em vez de organizar um evento presencial com transmissão online, produzir uma peça audiovisual que simbolizasse um dos principais desígnios deste projeto – a união entre todas as ilhas, e que envolveu mais de uma centena de pessoas na sua produção.

Trata-se de um vídeo, com assinatura do açoriano Hugo França, que teve como palco o Teatro Micaelense e que pretendeu espelhar a riqueza e a diversidade culturais dos Açores, cruzando a tradição e a contemporaneidade.

Para além de vários apontamentos artísticos, o vídeo – que tem sonoplastia do músico Luís Senra – conta com os depoimentos do professor Onésimo Teotónio Almeida, presidente da Comissão de Honra do Azores 2027, da Presidente do Município de Ponta Delgada, Maria José Lemos Duarte, e do Presidente do Governo dos Açores, José Manuel Bolieiro. 

O vídeo será transmitido no próximo domingo, às 20h30 (hora dos Açores) através das páginas de facebook do Azores 2027 e do Município de Ponta Delgada, bem como através da página oficial do projeto –  www.azores2027.eu – que será lançada no mesmo dia. 

None

Azores 2027 é um projeto de união: Ponta Delgada traz consigo todo o arquipélago


A divisa da União Europeia, “Unida na Diversidade”, serve bem aos Açores – a riqueza do arquipélago reside na diversidade das ilhas que esta candidatura quer mostrar à Europa.

Ponta Delgada candidata-se a Capital Europeia da Cultura para afirmar o arquipélago pela sua identidade, pela sua multinacionalidade e pelo seu património natural e cultural. A equipa coordenadora defende que esta é a força do Azores 2027, que quer contar com o apoio e o envolvimento de todos os açorianos, do Corvo a Santa Maria. 

Neste sentido, foram nomeados embaixadores do Azores 2027 em todas as ilhas enquanto representantes do projeto, e que são fundamentais para aproximar os açorianos e todas as ilhas a esta candidatura.

Têm, também, sido promovidas ações de auscultação e de participação, nomeadamente o 'Laboratório de Imaginação Partilhada' e a ‘Porta Aberta’. A primeira ação contou, até à data, com mais de mais de cinco dezenas de participantes das áreas da cultura, ambiente, educação, urbanismo, ação social e turismo, entre outras.

Estes encontros, que têm juntado gente de todas as ilhas da Região e açorianos que vivem fora do arquipélago, pretendem contribuir ativamente para a construção do dossiê de candidatura do Azores 2027. Já a ‘Porta Aberta’, uma ação presencial e online, visa abrir o projeto a toda a comunidade, ou seja, a todos aqueles que o querem conhecer de perto.

Para além destas iniciativas, até ao final de junho, o Azores 2027 vai desenvolver mais ações de auscultação e participação nas nove ilhas do arquipélago, estando previstas idas a escolas e conversas com agentes de vários setores e com a população local.

Da dimensão regional à dimensão europeia


A candidatura de Ponta Delgada | Açores a Capital Europeia da Cultura 2027 pretende ser um espelho da União Europeia, criando uma nova centralidade baseada na democracia cultural, no diálogo, na experimentação artística e na unidade pela diversidade.

Neste sentido, o Azores 2027 propõe-se a apresentar uma experiência arquipelágica cultural envolvendo diferentes comunidades, incluindo as comunidades emigrantes, tomando as ilhas como palco através de um programa cultural cooperativo e aberto a todos e com dimensão europeia.

Serão valorizadas na candidatura, a geografia, a história e o património dos Açores – uma região europeia onde a cultura decorre de uma relação direta com a Natureza.